domingo, 18 de janeiro de 2009

[baile poético] Shall we dance?

s4br 2007©

Ladrilhos: até onde me levam? Ao portão de embarque?

SALÃO nobre, respeitável agremiação,
Ilustres convidados, trajados com distinção,
Noite de gala, um momento mágico,
Clarão intenso, de brilho único.

Troca de olhares, ao longe, minha tentativa,
Tímidos sorrisos, tão perto, tua reação,
Em meio a tantos rostos, não mais te confundo,
Sabemos que somos par, só nos falta estar juntos.

A honra da contra-dança concedida (respiro fundo!),
Mão sobre mão, de leve envolvo-te a cintura,
Meus dois pés esquerdos, finalmente em acordo,
Endireitados por sublime encanto, flutuam, deslizam.

Neste baile secreto, particular e exclusivo,
Cuja própria trilha sonora segue seu ritmo,
Sob um disco eterno, infinito, em alto e bom som,
Sem limites, sem pudores, somos, finalmente, um do outro.

4 comentários:

Tigresa disse...

Li, reli e resolvi cortar seu texto. Fiz das suas, as minhas palavras:

"Sabemos que somos par, só nos falta estar juntos.
Mão sobre mão, de leve envolvo-te a cintura,
Neste baile secreto, particular e exclusivo,
Sem limites, sem pudores, somos, finalmente, um do outro"

Conheço o desejo e a agonia do desejo correspondido, conheço a alegria de se reconhecer "par", conheço e preservo o segredo, a distinção entre o público e o privado para amar sem limites, para ser um do outro, e ser, só ser...

Amigo,

Seu poema é brilhante. Bom que voce voltou a brilhar (como o poema!).

Beijos

MilfordMaia disse...

Como num filme, você decupou o texto e expressou seu apreço pelo mesmo. Fico lisonjeado.

Agradeço a visita, o incentivo e a amizade, de hoje e sempre.

Forte abraço!

Trebor Basques disse...

Os pés nos levam para caminhos que escolhemos, mas acompanhados da música e um encanto, torna cada experiência única......

Abraços Camarada

Milford Maia disse...

Com toda a certeza, velho amigo Trebor! O que seria de nossas vidas sem encanto, sem música?

Forte abraço!