quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

[Maniqueísmo Poético] El malo y el bueno

s4br 2008©

Lo malo: un pasado de sacrificios humanos. Lo bueno: la poderosa energía de la Pirámide del Sol, Teotihuacán, México.

EL malo hace su 'carita de ángel',
El bueno se queda callado, espera.
El malo viste su 'ropa de pobrecito',
El bueno no quiere que nadie más sufra.

En un cambio de papeles, ser malo es lo bueno,
Que por no preocuparse, se convierte en ilusión, en sueño.
En un engaño más grande aún, ser antes bueno, ahora es lo malo
Porque suena realidad, se muestra demasiado aburrido para encantarse.

Pero por suerte (o quizás casualidad, a lo mejor, justicia),
Mismo que aparentemente ganador, el malo sigue mal,
Tiene todo lo que quiere, pero nada le conviene,
Porque, de verdad, no le pertenece, ni le da ganas.

Por su parte, el bueno, tampoco se sale mejor (ni peor),
Ya que se olvida de hablar lo que quiere, lo que desea,
No se le ocurre decir al mundo a que viene, lo que aspira,
Y se queda solo, como si fuera este su destino, en silencio.

2 comentários:

Alesya Karas disse...

O mal e o bem, o mau e o bom...

Quantas vezes o amigo te magoa e o inimigo te adula? Quantas vezes o pai te repreende e o traficante te seduz?

Que é o mal? Quem é o mau?

...

Atire a vaca no precipício
http://contoseparabolas.no.sapo.pt/03outros/varios1.htm

Quando o Mestre e discípulo peregrinavam por distantes pastagens, certa vez foram acolhidos por uma família pobre, muito simpática mas que vivia em condições de miséria. Embora fossem boas pessoas, seus recursos materiais eram muito limitados. Sustentavam-se graças à sua uma vaca magricela que fornecia o leite para se alimentarem e o pouco que sobrava vendiam para ganhar uns trocos. Na hora da despedida, o discípulo com pena daquelas pessoas perguntou ao mestre se não podiam fazer nada por eles. O Mestre em sua sabedoria disse:
- Atire a vaca pelo precipício.
- Mas Mestre ...
- Atire a vaca no precipício ou suma com ela! - disse o Mestre.
O discípulo, sem compreender a intenção do Mestre cumpriu seus desígnios ainda que muito contrariado. E assim a família ficou sem a vaca.
Os anos se passaram e o discípulo, cheio de remorsos pelo que fizera, não voltou a ter paz. Para se redimir e pedir perdão à família resolveu voltar àquela região. Mas para seu espanto não conseguiu reconhecer a região. Onde antes havia uma região árida, encontrou terras cultivadas. Próximo de onde era o casebre encontrou um palacete. Angustiado supôs que a família fora obrigada a vender a casa e o terreno, pois já não tinham a vaca para sobreviver. Aproximou-se da bela casa e encontrou seus proprietários na piscina, divertindo-se. Para seu espanto verificou que estas eram as mesmas pessoas que antes encontrara, agora com aparência mais saudável e feliz. Sem entender nada, o discípulo perguntou que milagre tinha ocorrido naquele lugar. Com um sorriso no rosto o pai respondeu:
- Milagre, nada! Um dia nossa vaca desapareceu. Tivemos de procurar um novo meio de subsistência. Trabalhámos muito e procurámos formas alternativas. Ao longo dos tempos fomos prosperando.
Então o Discípulo compreendeu a sabedoria do Mestre.

MilfordMaia disse...

Com certeza, minha cara Alesya.

Uma vez ouvi de alguém (que não me recordo, mas cujas palavras gravaram-se em minha memória) dizer:

Amigo fala, inimigo cala.

Forte abraço! Visite o blog aqui ou acolá!